Jawbone Up

Desde o mico homérico da PowerBalance, sempre que escuto falar de pulseiras milagrosas fico com o pé atrás. Ok, eu acreditei que a PB funcionava mesmo, estávamos no calor da Copa 2010, com todos os jogadores usando a bendita pulseira, na NBA idem, no surfing, skateboarding, enfim, dei R$ 150 naquele pedaço de borracha porque o raciocínio era óbvio: “Se estes caras usam, é porque funciona!” Ok cara pálida, o tal selo holográfico era só um pedaço de plástico e assim acabou a história da tira de borracha mais cara que eu já comprei na vida.

Dito isso, há alguns dias tomei conhecimento da pulseira Up, da Jawbone. Ela promete entre outras coisas monitorar o sono (leve e profundo) e dizer quantas horas você realmente dormiu, mede também a intensidade das atividades físicas, ganhos calóricos das refeições e uma infinidade de outras coisas.

Parecia muito bom pra ser verdade então resolvi investigar, e comecei a levar o negócio mais a sério quando ví que ela esta a venda na Apple Store Americana na categoria de acessórios. Veja, eu não sou só entusiasta Apple, sou da área de tecnologia há 12 anos e sei que a Apple é muuuuito séria quanto aos parceiros que vendem produtos na Apple Store, principalmente.

A Up é 100% tecnologia Quantified Self, assim como sua concorrente Flex da Fitbit, e tirando a limitação de transmissão de dados para o Iphone/Android ter que ser feita via plug P2 (péssimo, podia ser bluetooth) ela leva uma vantagem gigante na qualidade do software, que analisa um conjunto muito maior de parâmetros biológicos do usuário – diferenciar o sono leve do sono pesado (sono real) por exemplo, algo que a Flex nem promete se fará nas próximas versões ou não.

Veremos por quanto a Up será comercializada no Brasil, mas se a propagação dela seguir os planos dos criadores e gestores da Jawbone, não levará muito tempo para ela ser tão necessária quanto um relógio de pulso.

Para mais informações, veja o vídeo abaixo:

Um abraço e bons treinos!

Author: Cleber Pereira

Share This Post On